Jogo de loucos. Oito golos, 5-3. Passou a Espanha. Mas podia ter passado a Croácia.

Os croatas estiveram a vencer, 1-0 passaram a quase eliminados, 3-1 recuperaram dois golos de de desvantagem 3-3 – e foram goleados no prolongamento 5-3:

  • 1-0 Pedri González (autogolo)
  • 1-1 Sarabia
  • 1-2 Azpilicueta
  • 1-3 Ferrán Torres
  • 2-3 Orsic
  • 3-3 Pasalic
  • 3-4 Morata
  • 3-5 Oyarzabal

 

 

Primeiro o autogolo

Foi o 9º autgolo da prova – foram marcados tantos autogolos como no total dos 15 Europeus anteriores.

O golo foi dado a Pedri, mas a culpa também é de Unai.

 

 

Foi obra do diabo.

Lembramo-nos todos da mão do guarda-redes da Eslováquia a empurrar a bola para a própria baliza.

Na altura a Espanha chamou-lhe um figo, vimos bem.

Martin Dubravka nem queria acreditar no que acabava de fazer.

Depois dos dois empates a abrir o Europeu (Suécia e Polónia), a Espanha abria assim a goleada 5-0 sobre a Eslováquia e carimbava o acesso aos oitavos-de-final.

 

Dubravka, mãos de manteiga (e a Espanha goleia)

 

A vez da Espanha

Com a Croácia o universo retribuiu o erro de Dubravka e os espanhóis sofreram um dos auto-golos mais caricatos da prova

(o primeiro golo deste Euro foi um autogolo, lembremo-nos)

Agora foi a vez do guarda-res espanhol ver a bola passar por cima do seu pé.

Unai Simón nem se fez à bola quando a viu ir direitinha para a sua baliza.

 

Estamos quites?

Ao contrário dos eslovacos, os espanhóis foram para cima do adversário. E enpataram mesmo antes do intervalo.

A Espanha dominou a 1ª parte: 73% de posse de bola e 11 remates: a Croácia não fez nenhum enquadrado

O golo foi de raiva: vários remates e o último acabou a fuzilar a baliza.

Cortesia de Sarabia. Decorem este nome.

Foi o segundo golo do médio do PSG. SE-GUI-DO.

Marcaram em jogos consecutivos pela Espanha em Europeus:

  • 1964 Pereda
  • 1984 Maceda
  • 2000 Mendieta
  • 2008 Villa
  • 2012 Fàbregas
  • 2016 Morata
  • 2020 Sarabia

O capitão Azpilicueta deixou a sua marca: marcou o 2-1, acalmou as hostes e arrisca-se a ser duplo campeão europeu (venceu com o Chelsea a Champions deste ano pode juntar-lhe o Europeu).

O terceiro golo foi para a festa (achavam os espanhóis).

Ferrán Torres, pois claro.

 

Chip e Morata

O chip do árbitro ainda descobriu um golo na baliza da Espanha – foi Orsic, que aos 28 anos se estreou numa fase final.

Não contente fez a assistência para o 3-3 nos descontos – Mario Pasalic aos 92.

No prolongamento foi Morata a safar a Espanha.

 

 

Depois de muito criticado por ser perdulário foi ele o golo que destruiu a Croácia e pôs a Espanha nos quartos-de-final. 4-3 e estava feito.

O 5-3 foi mesmo para a festa (e podia ter havido mais).

Agora venha a França ou a Suíça, no sábado.

 

O sufoco que é esta França