“Sérgio Conceição não vai ganhar nem mais um cêntimo”.

Assim, mais nada. Pinto da Costa sempre foi frontal até na hora de contar tostões.

Ninguém poderia ficar feliz por receber uma notícia destas.

Imagine-se numa empresa há 4 ou 5 anos, está prestes a renovar contrato, pedir aumento e, de repente, sim senhor, fica, mas não recebe “nem mas um cêntimo”.

 

Francisco Conceição. Quem sai aos seus é do FC Porto

 

Se há homem que aceitava isto, ele chama-se Sérgio Conceição.

Atenção, não estamos a dizer que o técnico português se vende por pouco, não.

É só porque, depois de um ano em que nada ganhou, a transferência para Nápoles, sem Liga dos Campeões à mistura, podia saber a pouco. E soube.

Tanto que ficou no dragão. Mais três anos.

Mas Sérgio Conceição foi dos poucos nomes em que a imprensa falhou.

Quem andou a pular de banco em banco nos últimos dias?

 

Conte já não conta

De Portugal vamos até Itália.

Antonio Conte deu o 19º título ao Inter de Milão.

Grande festa, ah pois é, mas não foi razão suficiente para ficar no clube.

Dizem as más línguas que o problema foi dinheiro (quando é que não é?). A direção queria reduzir salários, Conte não gostou.

 

Inter de Milão. A Conte que Antonio fez para meter a equipa (e os miúdos) a ganhar

 

E, mesmo campeão, lá saiu.

Entra Simone Inzaghi, ícone da Lázio (e seu treinador nas últimas seis temporadas, único clube que orientou na vida), muda agora de ares aos 45 anos.

A confiança não é muita, porque só assinou para duas temporadas.

Ou continuará a ser tudo sobre o money, momey?

 

Roma especial

Continuemos na bota da Europa.

Muita gente ficou surpreendida com a substituição de Paulo Fonseca por José Mourinho aos comandos da Roma.

E muita gente vai ficar ainda mais surpreendida com esta notícia: Mou ainda não meteu os pés na capita italiana.

 

Mourinho já não é special

 

Isto porque o clube está a preparar uma grande apresentação.

Pode ou não envolver um jato privado, uma limusine, champanhe, modelos, foguetes, fogo de artifício, pipocas, confettis e um busto gigante à porta do estádio.

Só falta saber se Mourinho vai receber um plantel de jeito.

Costumam abrir-lhe os cordões à bolsa.

Para já, fala-se de Rui Patrício, Renato Sanches, Raúl Jiménez ou Matic. E do técnico português riscar 29 jogadores. Quer fazer mais um Wolves, é isso. Pronto, está no seu direito.

 

Para onde NES?

Ora, falando de lobos, Nuno Espírito Santo saiu de Inglaterra. Esteve quatro temporadas à frente do Wolverhampton.

Agora pode ir parar ao Everton, já que Ancelotti regressou ao Real Madrid sabe-se lá porquê, ou para o Crystal Palace.

 

Wolves-Everton. Os miúdos de Espírito Santo com pele de lobo

 

O português podia ter ido parar ao Tottenham.

Podia, mas não foi. E quem o pode substituir é, nada mais, nada menos, do que Bruno Lage. Ou Bruno Faria, antigo adjunto de Mourinho.

É ver quem convence melhor Jorge Mendes.

A verdade é que NES subiu o clube de divisão, bateu recordes e chegou à Europa.

 

Raios Spartak Vitória 

Terminamos com mais um nome que agitou o futebol português e que, fartinho de cá estar, resolveu ir para as Arábias.

Falamos de Rui Vitória, que se fartou do calor e foi para o frio: é o novo treinador do Spartak de Moscovo para as próximas duas épocas.

Antes, andou pelos sauditas do Al Nassr, onde ganhou um campeonato, uma Supertaça e um caneco cheio de dinheiro do petróleo, com certeza.

Pela frente terá um clube que tem mais títulos no campeonato (10) desde 1992 mas que, entretanto, deixou-se ultrapassar pelo Zenit e pelo CSK Moscovo.

O Spartak não cheira o título desde a época 2016/2017.

Mas o ribatejano sabe o que é sofrer para ganhar. E desta vez nem tem de conduzir o Ferrari dos outros…

 

Bienvenido Ancelotti

Uma última nota para um nome que aqui já falamos: Ancelotti, que regressa seis anos depois a Espanha.

Deu-lhes a décima Liga dos Campeões.

Mas será que vai conseguir voltar a aturar um dos balneários mais complicados do mundo?

E logo para suceder o seu antigo adjunto Zidane. Boa sorte. Vai precisar.