A verdade é só uma: ninguém dava nada – ou pelo menos grande coisa – por estes Raptors 2019/20, ainda que no ano passado tenham vencido o seu primeiro título de sempre na NBA. Todos vimos os playoffs, todos sabemos como Leonard foi uma peça fulcral na vitória dos canadianos.

Mas a verdade nunca é só uma: estamos quase na pausa para o All-Star e os Raptors vão em segundo lugar da conferência com um score impressionante de 40-14, apenas atrás dos Milwaukee Bucks (46-7). E a última derrota que somaram foi há precisamente um mês, quando sucumbiram no Texas, por apenas um ponto de diferença, diante dos San Antonio Spurs.

 

 

Também é certo que durante esta série de 15 vitórias consecutivas não defrontaram os líderes de conferência, nem os Bucks, nem os Lakers, mas, ainda assim, derrotaram equipas bem classificadas como os Philadelphia 76ers, os Indiana Pacers, os Brooklyn Nets ou os Oklahoma City Thunder. Mas mais do que a série de 15 vitórias – só para esclarecer que a melhor série é referente aos Lakers de 1971/72, com 33 vitórias – é a forma como a equipa joga.

Quarta-feira 00h05
NBA – Época Regular
Philadelphia 76ers vs LA Clippers
2,00 – 1,71

Fred VanVleet é um base de alto critério, com lançamento, com passe bastante razoável e aquela falta de medo de assumir o lance em momentos críticos, qualidade de que todas as equipas precisam. Acrescente-se ainda que a sua barba é altamente estilosa.

Pascal Siakam é, neste momento, um dos melhores jogadores da NBA, ponto final parágrafo. É um jogador interior com uma capacidade de movimentação incrível, que também vem cá fora atirar uns triplos e que se mata a defender quer na luta das tabelas, quer até com um jogador mais rápido e mais baixo, em terrenos mais exteriores.

 

 

Kyle Lowry, depois de uma época menos positiva como foi a do ano passado, parece que precisava que Leonard saísse para voltar a ser o comandante. Está a jogar a um nível altíssimo, como sempre nos habituou, quer no momento defensivo, quer na capacidade de ler os vários momentos de jogo quando os Raptors têm a bola.

Serge Ibaka, a quem tantos especialistas já tinham feito a cama, parece não querer acabar, não querer ter fim. É um homem essencial na obtenção de ressaltos e que nesta série de 15 vitórias já foi por três vezes o homem com mais pontos da equipa.

A estes junta-se ainda a muito preciosa e eficaz ajuda de homens como OG Anunoby, Chris Boucher, Oshae Brissett, Terence Davis, Rondae Hollis-Jefferson, Normal Powell ou Patrick McCaw. Prova de que se há pessoa que sabe fazer grandes omeletes, mesmo que nem sempre tenha os melhores ovos, é Nick Nurse. E essa quota de responsabilidade no sucesso da equipa deve-lhe ser dada.

Quanto à possibilidade de prolongarem a sua série vitoriosa por mais tempo… segue-se jogo com os Nets, depois com os Phoenix, depois Indiana e, por fim, dia 26, com os Milwaukee Bucks. E a 1 de março com os Denver Nuggets. Se superarem estes dois obstáculos o anel é o limite. Respeitinho é bonito.