A armada espanhola perdeu três dos seus dez mosqueteiros na primeira ronda do ATP 500 de Barcelona.

Feliciano López sucumbiu diante do virtuoso jovem italiano Lorenzo Musetti.

Alejandro Davidovich Fokina, depois de bons sinais em Monte Carlo onde se havia de retirar após perder o primeiro set nos oitavos-de-final diante do futuro vencedor do torneio Stefanos Tsitsipas, nem em três sets conseguiu deitar abaixo o cazaque Alexander Bublik.

Carlos Alcaraz não foi capaz de bater um Frances Tiafoe que se apresentou a um nível elevadíssimo no saibro catalão, a fazer recordar os tempos em que acreditávamos que um norte-americano voltaria a ter sucesso nesta superfície, quando disputou — e por sinal perdeu — a final do Estoril Open diante de João Sousa, em 2018.

 

Temos de falar sobre João Sousa

 

Pablo Andujar foi outro que cedeu, mas este já na segunda ronda, diante de um isento da primeira ronda da competição Roberto Bautista-Agut, que por sua vez tem encontro marcado com Jannik Sinner na terceira ronda, jogaço à nossa espera, para ver amanhã.

Mas os restantes mosqueteiros voaram para a segunda ronda — e alguns já lá estavam em virtude da condição de cabeça de série, falamos de Rafa Nadal, Bautista-Agut, Pablo Carreño-Busta.

 

B de Barcelona, B de Belgrado

 

El Toro apresenta hoje em campo, às 15h, diante do bielorrusso Ilya Ivashka, que costuma dar-se bem em terra batida, mas que não deve significar grande perigo para o rei da superfície, talvez ainda meio assombrado pelos fantasmas da derrota diante de Rublev em Monte Carlo.

Busta enfrenta um Jordan Thompson cujo bigode parece afinado e que ontem derrotou Richard Gasquet em três sets, num jogo bastante agradável de ver — o australiano dá-se cada vez melhor em terra.

 

A Jaume Munar caiu-lhe a fava grega.

Defronta Tsefanos Tsitsipas e vejamos que tipo de dificuldade consegue causar no deus.

Bernabe Zapata Miralles é o grande intruso espanhol, vindo da qualificação e derrotando o companheiro de percurso Andrey Kuznetsov na primeira ronda, terá do outro lado da rede Fabio Fognini ao início da tarde de hoje.

Mas convenhamos que o melhor de hoje em Barcelona dispensa espanhóis.

Às 15h temos um entusiasmante Nishikori x Garin, e atenção porque o jogador japonês está em crescendo e o chileno é um dos grandes especialistas em terra batida do circuito.

E às 16h30, potência x velocidade, que é igual a dizer Tiaofe diante de El Peke Diego Schwartzman.

O dia promete alegrias.

 

Mais para leste, em Belgrado, Djokovic entra em court às 13h com o sul-coreano Kwon Soonwoo e logo a seguir temos um duelo italiano que deixa água na boca: Marco Cecchinato x Matteo Berrettini.

Uma última palavra para a maré de maus resultados de João Sousa que depois de ser repescado para o quadro principal sucumbiu diante de Taro Daniel, também repescado.

Nada contra o jogador japonês, mas falamos de alguém que está consideravelmente abaixo do português a nível de talento e de qualidade de jogo e que nem precisou de um terceiro set para seguir para a segunda-ronda. E ainda salvou um set point.

As coisas já estiveram mais fáceis…