A vida do campeão do mundo pela França em 2018 nos últimos meses dava uma série, um programa de televisão. Depois de ter sido suspenso por falhar compromissos com o seu actual clube, o Marselha, em maio, o franco-marroquino foi agora despedido por ter participado num reality show francês quando supostamente estava lesionado.

Antes de mergulharmos nos defeitos, uma passagem pelas qualidades.

Adil Rami é um defesa-central de enorme qualidade. Sempre gostou de ir à área contrária fazer golos de cabeça, sempre foi daqueles durinhos – ou passa a bola ou o jogador, os dois é que não – e tem um pontapé forte, que pode assustar guarda-redes a uma longa distância.

Ligue 1
Sábado 16h30
Nantes vs Marselha
2.55 – 3.00 – 2.75

Tem no seu currículo passagens pelo Lille, Valência, Milan, Sevilha e foi, em 2018, campeão do mundo pela França e também esteve na equipa que cedeu aos pés de Éder, em 2016.

Em 2017, voltou ao seu país natal para jogar no Marselha, hoje comandado por André Villas-Boas. O gosto pela moda, por bigodes ousados e um visual fashion, preocupado com e imagem, sempre esteve no ADN de Rami.

 

View this post on Instagram

CLEAR YOUR MIND OF “ CAN’T ” 😎😘

A post shared by Adil Rami (@adilrami) on

 

Nos últimos anos foi recurso regular das revistas cor-de-rosa francesas e internacionais pela sua relação com Pamela Anderson.

Ora em Junho, já a canadiana tinha dado conta nas redes sociais que o namoro tinha terminado, isto porque, alegadamente, o central mantinha uma “vida dupla”, ou seja, ao que parece, Rami nunca se tinha separado efectivamente da mãe dos seus dois filhos, com quem continuava a manter relações sexuais, alegando que o namoro com Pamela era só para efeitos publicitários. Espertinho. Resta saber se ficou só sem Pamela ou se ficou sem as duas.

Mas, pelos vistos, não é só com as mulheres que Rami é um tipo execrável.

Depois de ter sido suspenso por faltar a treinos da equipa principal do Marselha, o jogador voltou aos treinos e, supostamente, lesionou-se. Acontece que a lesão não o impediu de, há dias, ter aparecido num reality show francês chamado “Fort Bayord”.

E riam-se agora: este é um daqueles programas de jogos de força e resistência, em que Rami apareceu e fazer wrestling dentro de lama. O que para alguém que está lesionado e por esse mesmo motivo não treina com a turma de Villas-Boas parece curioso, no mínimo.

E a falta de profissionalismo, por mais que o central de 33 anos fosse, eventualmente, uma das grandes opções defensivas do treinador português, tem limites. O Marselha parece ter-se cansado da vida dupla de Rami. E a partir de agora? Vida nula?