A parceria entre o Lateral Esquerdo e a Moosh.pt para o “Desafie o Perito” continua, agora com as escolhas da equipa do LE para as próximas jornadas das várias Ligas europeias.

 

RB Leipzig vs Atlético Madrid

O regresso da Champions fica marcado por um confronto entre dois outsiders com claras possibilidades de continuarem a surpreender na Champions.

Duelo interessantíssimo pelo rigor tático de dois modelos tão diferentes.

O Atletico de Simeone sempre baseado na organização defensiva de competência suprema do seu 4x4x2, contra um Leipzig de Nagelsmann que altera sistema de jogo sistematicamente por ordem estratégica, mas sempre sem perder a matriz do seu estilo – Pressing, Pressing, Pressing.

Expectativa de domínio alemão, mas nem por isso controlo. O Atletico oferece a bola mas não o resultado. Fecha muito bem todos os caminhos para a sua baliza e obrigará a que Sabitzer e Timo Werner tenham de aparecer a nível elevado na hora de atirar à baliza. Do outro lado, os constantes movimentos de ruptura de Dyego Costa serão dificuldade extra para um Leipzig que mesmo tendo mais bola, não concentra sobre si o favoritismo de um jogo… tático!

 

Atalanta vs PSG

A equipa sensação da Europa defronta em Lisboa o “rico” PSG, que tem finalmente uma possibilidade bem real de chegar à final da prova maior.

Um jogo que promete intensidade total pela forma como a Atalanta defende. Os italianos partem de um 3x5x2 em Organização Defensiva e optam por marcar não apenas as saídas adversárias, mas todas as fases através de encostos individuais, dificultando recepções e ligações ao PSG. Forçam um jogo de confrontos individuais onde geralmente tomam vantagem pela agressividade com que o fazem.

Contudo, do outro lado estarão galáticos como Neymar e Di Maria que veem realizando uma temporada de elevado quilate e são capazes de sob pressão jogar e desmontar oposição.

Tuchel desenvolveu na Champions da presente temporada argumentos estratégicos que permitirão em conjunto com a qualidade técnica dos “parisienses” ultrapassar a pressão asfixiante que os homens de Gasperini sempre forçam, e com isso o jogo tenderá a ser de grande aproximação às balizas e como tal, de enorme qualidade.

 

Man City vs Lyon

A equipa de Pep Guardiola surgiu no período pós pandemia a um nível ainda superior ao habitual, atropelando todos quanto os que lhe saíram ao caminho.

Mais critério, melhor ligação desde trás, mais asfixiantes com bola e reactivos na perda, os “citizens” não deixam ninguém jogar pela forma como dominam e controlam cada partida.

Kevin de Bruyne regressou a um nível estratosférico e a cada bola que toca dá ideias à sua equipa. Descobre os mais adiantados e cria condições para Mahrez, Gabriel Jesus e Aguero definirem em zonas de finalização.

Do outro lado o 3x5x2 de Rudi Garcia fechará os espaços para a sua baliza e procurará libertar-se da teia ofensiva do City, concentrando energia na procura de Aouar e Bruno Guimarães, que com espaço poderão trazer sérios problemas nos contra ataques franceses, alimentando a potência de Depay.

Promessa de um jogo que embora de sentido único em ataque posicional, terá saídas velozes e bem definidas pela equipa francesa.

 

Bayern Munique vs Barcelona

Os germânicos trucidaram toda a oposição em 2020, batendo recordes de vitórias e golos marcados, e em Lisboa defrontam um Barcelona que embora pouco apaixonante e incapaz do ponto de vista colectivo, tem… Messi.

Só o argentino poderá equilibrar um jogo cujo cariz tático pende totalmente a favor da equipa alemã.

O Bayern é hoje mais Barcelona que o contrário. Tornou-se uma equipa de grande capacidade para alimentar o último terço, pela forma brilhante como Alaba, Kimmich e Thiago Alcantara servem os colegas em espaços mais adiantados, e ai chegados, Lewandowski, Muller e Gnabry aceleram e definem a um nível incrível.

Do outro lado, um Barcelona assente no que Messi procura criar, enquanto Suarez e Griezmaan esperam no último terço por bolas que possam transformar em golo.

Um jogo entre uma equipa e um conjunto de jogadores. Contudo, não são um conjunto qualquer. Enquanto há Messi há vida.

 

Bragantino vs Botafogo

A segunda jornada do Brasileirão marcará a estreia do Botafogo de Paulo Autuori no Campeonato, depois da estreia frente ao Bahia ter sido adiada.

O Bragantino surge na presente temporada como uma das equipas mais bem apetrechadas depois de um investimento alto e bem conseguido.

Pressão constante é a matriz do Bragantino. Em Organização Defensiva ou nos momentos seguintes à perda, a equipa de São Paulo não perde uma oportunidade para pressionar e obrigar os adversários a precipitarem-se em posse, tornando extremamente complicado conseguir-se sair em posse no terreno do Red Bull.

À intensidade competitiva, alia uma qualidade extra de talento. As saídas mesmo pelo corredor direito terminam invariavelmente a procurar Artur, o extremo direito canhoto, que é uma máquina imparável quando parte em drible na direcção do corredor central, fazendo recordar Robben pela forma como finaliza da direita para dentro.

Com Ytalo, melhor marcador do Paulista a mover-se em apoio e Morato, o extremo esquerdo, a surgir na profundidade, o Red Bull tem argumentos técnicos, tácticos, de modelo e estratégicos para tornar a partida num “monólogo”, e nem a experiência dos consagrados Honda e Kallou deverão colocar dificuldades sobre aquela que promete ser a equipa revelação da época no Brasil.

 

América vs Santos Laguna

Duas vitórias e um empate nas primeiras três jornadas colocam o América na frente da classificação no México, e a recepção ao Santos Laguna, três pontos atrás promete ser um atrativo importante da quarta ronda na Liga mexicana.

Um confronto entre sistemas iguais – Ambas as equipas partem de um 4x4x2 em Organização Defensiva, e ambas têm tido sempre menos posse de bola nas suas partidas. Embora, o América não sinta tal necessidade pela forma como consegue criar nos momentos de transição. A equipa de Miguel Herrera tem chegada à zona de finalização fácil e os dois avançados (Viñas e Córdova) movem-se complementando-se. Ambos aparecem para finalizar, e ambos abrem espaços para entradas.

Menos aprazível tem sido a temporada do Santos Laguna, que ainda assim com Aguirre e Furch na frente de ataque, consegue aproveitar os espaços que sempre se abrem numa liga onde as preocupações defensivas e o encurtamento do campo raramente se faz notar.

Promessa de um jogo com vários golos, como é apanágio da Liga, e de matriz tática bem semelhante.

 

Cercle Brugges vs Antuérpia

A segunda Jornada da Liga Belga traz-nos um confronto entre históricos. O Cercle chega ao confronto depois da derrota em Liége na primeira partida, enquanto o Antuérpia não foi capaz de bater o Mousscron.

O Antuérpia de Ivan Leko, conta com o português Aurélio Buta na lateral direita e parte dum 4x2x3x1 no momento defensivo para um desdobramento em ataque posicional que coloca Refaelov próximo do perigoso ponta de lança Mbokani, mas será sobretudo nos momentos pós recuperação da posse que tentará lançar o africano na frente do ataque procurando aproveitar dificuldades para defender espaços largos de um Cercle Brugges que se fecha bastante bem em 4x1x4x1 em Organização Defensiva, mas que assumindo o jogo liberta possibilidades nas costas da sua última linha.

Hotic, Mbenza e Hazard deverão formar o trio ofensivo de uma equipa que à semelhança do que se vai encontrando pelo país leva o jogo para uma dimensão muito física.

Expectativa de um jogo intenso pela constante chegada ao último terço, mas nem por isso bem jogado. A emoção está, porém garantida.

 

Pumas vs Monterrey

Três jornadas disputadas e três pontos separam o Monterrey (4 pontos) do Pumas (7 pontos) que se encontra posicionado no grupo da liderança.

Tal como é apanágio da liga mexicana, promessa de um jogo de grande criação e finalização.

Jogo interessante de seguir pelo cariz ofensivo que ambas as equipas colocam no seu jogo.

O 4x4x2 do Pumas enfrentará o 5x3x2 do Monterrey, num jogo que previsivelmente se partirá com ataques rápidos contínuos, e se dum lado os três centrais da equipa forasteira procurarão controlar Dinenno e o goleador Carlos Gonzalez, o espaço que abrirá num meio campo a três coordenado por Ortiz faz prever um jogo de forte pendor ofensivo de ambos os lados.

Mais do que pensado taticamente, O Pumas vs Monterrey trará competitividade, intensidade, atitude competitiva, correria e lances de golo sobre ambas as balizas.

 

Lokomotiv Moscovo vs Krasnodar

Jogo grande na segunda jornada no Campeonato da Russia. Confronto entre duas equipas de alto investimento, com individualidades capazes de proporcionar um jogo de criação elevada, expresso em oportunidades de golo sobre ambas as balizas.

O Lokomotiv perdeu para o Zenit no jogo inaugural da temporada na supertaça, e procurará na sua casa fazer jus ao epíteto de possível revelação na época. O 4x3x3 de Marko Nikolic tem em Corluka e em Murilo os estandartes defensivos que suportam o aparecimento do talento do meio campo para a frente, enquanto o herói nacional Eder vai procurando materializar criação em golos.

Do outro lado o agora rival Krasnodar (terminou em terceiro na temporada passada, cinco pontos atrás do Lokomotiv) apetrechado com qualidade em todos os sectores.

O 4x2x3x1 tem na frente o talento de Cabeça e de Wanderson que alimentam o sueco Marcus Berg, o veterano ponta de lança que marcou no triunfo do Krasnodar na ronda inaugural.

Pressionantes e com constantes encaixes individuais nos adversários, a equipa de Musaev desloca-se a Moscovo com a certeza de que dividirá o jogo e que a forma como defende proporcionará saídas rápidas para os seus extremos talentosos definirem com espaço.

Um autêntico confronto de titãs que procuram aproximar distâncias para o campeão Zenit, deverá proporcionar um jogo de grande nível.

 

Rostov vs Zenit

O Zenit que só sabe vencer desloca-se ao campo do Rostov que entrou bem na temporada, batendo fora de casa o Tambov.

A equipa da casa apresentar-se-à num sistema ultra defensivo, numa linha defensiva a quatro mas bem protegida por cinco médios sempre baixos e próximos, encurtando espaços e dificultando entradas em ataque posicional a um Zenit que depois de vencer a Supertaça se afigura uma vez mais como candidato número um ao título na Rússia.

O 4x4x2 dos comandados de Semak foi agora reforçado com a chegada de Lovren, ex central do Liverpool, e conta com o talento puro de Malcom que partindo do corredor lateral destrói qualquer organização seja criando seja atirando na baliza. Organizados e pressionantes, o Zenit conta ainda com o gigante Dzyuba, um ponta de lança que ajuda de sobremaneira no jogo aéreo, e que tem o condão de aparecer nos momentos mais complicados, quando o espaço parece escassear.

Um jogo que embora aparentemente desnivelado terá a particularidade de opor uma equipa que para além de moralizada se fecha bem em Organização Defensiva, ao ultra favorito Zenit, que terá de encontrar espaços onde aparentemente não os há.