O que interessa é o Luxemburgo.

O jogo de terça-feira de qualificação ao Mundial 2022 é decisivo nas contas de Portugal.

Antes desse há este sábado o anfitrião desse Campeonato do Mundo – o Catar.

É aqui que entra o engenheiro Fernando Santos e a sua gestão.

 

Mundial do Catar, dezembro de 2022 e o grupo de Portugal

 

Leão e Matheus Nunes

Por isso há que gerir os jgadores, sobrecarregados.

É mais um teste na pequena revolução que o selecionador tem vindo a fazer, com a entrada de novos jogadores.

Testar opções habitualmente pouco utilizadas e estrear jogadores.

Desta vez podem ser três, mas dois deles vão jogar de certeza.

Segundo o treinador há entrada assegurada na equipa de Rafael Leão e Matheus Nunes. E ainda haverá Diogo Costa.

Os dois primeiros irão a jogo.

«Não sei se vão jogar de início ou entrar depois.São jogadores de futuro e quanto mais depressa apreenderemos processos, melhor para eles e melhor para nós» Fernando Santos

 

PIF, o Newcastle é o clube mais rico do mundo (graças à Arábia Saudita)

 

Diogo Costa pode ter que esperar.

«Em relação ao Diogo vou pensar. É um lugar mais específico e ele, ou entra de princípio ou então não entra, porque eu não gosto de trocar guarda-redes a meio de um jogo. Isso não é bom».

 

3-1 no Catar em setembro

Catar já se tornou um velho conhecido.

Há um mês Portugal e o Catar defrontaram-se e a seleção portuguesa venceu 3-1.

Com golos de André Silva, Otávio e Bruno Fernandes.

 

Outro recorde para CR

Agora há Ronaldo, que se jogar bate mais um recorde.

Passará a ser o jogador europeu com mais jogos por uma seleção (181).

O malaio Soh Chin Aun tem a melhor marca mundial (com 191 jogos).