Sadio Mané foi contra tudo e contra todos para estar em campo no jogo dos quartos-de-final da CAN.

https://news.moosh.pt/moosh/moosh-e-o-patrocinador-oficial-do-sc-braga/

O avançado confessou que fez tudo para pode poder continuar a jogar tão poucos dias depois do choque fortíssimo com o guarda-redes de Cabo Verde.

Propôs um “contrato de morte”.

 

 

Tudo pelo Senegal

O jogo era crucial para garantir um lugar nas meias-finais da CAN e Mané não quis ficar de fora dos jogo dos quartos-de-final com a Guiné Equatorial.

Antes, o então avançado do Liverpool sofrera uma contusão num embate brutal com o guarda-redes cabo-verdiano Vozinha.

O Senegal, primeiro do Grupo B cruzou com o melhor terceiro da fase de grupos: Cabo verde.

Nos oitavos, os senegaleses acabariam por eliminar os cabo-verdianos por 2-0, com um golo de Mané – mas o jogador saíria aos 70 minutos, substituído devido à pancada na cabeça.

 

 

«O Liverpool pressionou a federação [senegalesa] e escreveu uma carta à Fifa dizendo que eu precisava de pelo menos cinco dias de descanso, o que significava que eu perderia os quartos-de-final»

 

Liverpool fez tudo para impedir 

A situação de Mané, então com 29 anos, gerou preocupação em Liverpool.

O clube solicitou que o jogador tivesse repouso e falhasse o próximo embate, pressionando a federação do Senegal e até a FIFA.

Mas Mané tinha outras intenções.

«Eu encontrei o selecionador e o médico e disse-lhes: ‘Ouçam, eu sei que não deveria jogar, mas não há problema. deêm-me um contrato, eu assumo a responsabilidade. Se eu morrer, podem dizer que a culpa foi minha, de mais ninguém. Estou pronto para fazer isso!’»

CAN you walk like an egyptian?

 

Raios-X decisivos

O jogador diz ter insistido para que o contrato fosse feito, mas que lhe disseram que não seria possível.

O médico propôs então uma radiografia no dia do jogo e que o resultado ditaria se iria jogar ou não.

O exame foi feito pelos médicos com o aval da Federação senegalesa: e foi aí que saíu o aval para ir a jogo.

 

O fantástico senhor Mané

 

Vitória e campeão

Mané jogou todo o encontro sem problemas, participando na assistência para o 3-1.

Depois de eliminar a Guiné Equatorial, o Senegal ultrapassou o Burkina Fasso (com um golo de Mané) e na final bateu o Egito do companheiro Salah: nos penáltis Mané marcou o decisivo.

 

 

Agora segue-se o Mundial do Qatar, no qual a esgtrela senegalesa foi crucial na fase de qualificação.