CAN sem polémica não é CAN.

Era para ser nos Camarões (atuais campeões) mas a sede passou para o Egipto devido aos atrasos na preparação dos estádios (OK, a presença do grupo terrorista Boko Haram e a crise separatista também ajudou).

Hoje 21h00
CAN
Egipto vs Zimbabué
1.15 – 5.30 – 11.00

Mas não é só. Depois de anos a jogar-se em janeiro, a prova passou do inverno para o verão (21 de junho a 19 de julho).

Esta é a maior CAN de sempre – passou de 16 para 24 seleções, o que permitiu a entrada de países que nunca tinham participado, como o Burundi, Madagascar e a Mauritânia.

 

 

 

Egipto x5

Mudou muita coisa menos os favoritos. Esses continuam os mesmos, e até mais reforçados.

Egipto e Senegal, guiados pelas super-estrelas Mo Salah e Mané (amiguinhos no Liverpool), são os grande favoritos.

Ponham-se também a pau com:
– Mali (tem Marega, Diaby e Sacko)
– Nigéria (tripla campeã a última ez em 2013)
– Argélia (com Mahrez,  Brahimi e Slimani)
– e Camarões (vencedores de 5 edições e atuais detentores do troféu, conquistado em 2017)

Para já o Egipto é o grande conquistador. Os egípcios, campeões africanos em sete ocasiões, uma das quais em 2006, quando também organizaram a prova, venceram a última vez em 2010 e foram finalistas na última edição (perdida para os Camarões).

Os egípcios já organizaram a prova em cinco ocasiões (1959, 1974, 1986 e 2006).

O Senegal aparece logo a seguir, nem que seja pelo que fez noúltimo Mundial na Rússia – teve o melhor desempenho entre as 5 seleções africanas, ainda assim insuficiente para lhe garantir a passagem aos oitavos de final.

E é a melhor seleção africana do ranking da FIFA (22.º lugar).

Títulos 
Egipto 7
Camarões 5
Gana 4
Nigéria 3
Costa do Marfim 2
RD Congo 2

Portanto, com o que é que ficamos?

Com o Can Can senegalês de influência francesa ou o Walk Like an Egyptian das Bangles?