Cada vez menos se pede desculpa. É coisa estranha, mas os tempos assim o exigem.

Cada um na sua bolha, cheio de egoísmo, a andar pela vida.

Muito giro este início não foi? Certamente.

 

Desculpa, Messi

Isto para contar a história de um miúdo que pediu desculpa ao Messi por se chamar Cristiano.

O rapaz estava à porta do hotel onde a Argentina estava hospedado esta semana e levou um cartaz com o tal pedido.

 

 

Já não se fazem crianças assim.

Resta saber se o craque do PSG levou a mal ou se lhe vai oferecer uma camisola.

A ver que tipo de homem é…

 

Dinamarca apurada para o Catar

Noutras históricas, a Dinamarca, estrela maior deste europeu depois do que se passou com Ericsken (e do bom futebol praticado), foi a terceira equipa a qualificar-se para o Mundial (depois do anfitrião Catar e da Alemanha).

Oitos jogos, oito vitórias, zero golos sofridos, sem espinhas.

 

 

Mais: andam preocupados com a parte humanitária desta competição – sinais de escravatura, trabalhadores a morrerem, um cenário bonito no Catar.

Mas se estão assim tão preocupados, porque não um boicote?

Ainda pode acontecer.

Se continuarem a jogar tão bem, talvez queiram tanto ganhar que se esquecem.

 

Portugal goleou e abriu as portas do Mundial 2022

 

Newcastle campeão… em 2031 

Sem se saber o futuro, terminemos com o presente.

Mentira, continuemos no futuro.

Há um expert em finanças que prevê a vitória do Newcastle na Premier League daqui a 10 anos, quando Ronaldo tiver 46, portanto.

 

 

Isto porque entretanto um senhor das arábias resolveu comprar o clube.

Ou seja, as estimativas, segundo Tom Bason à SkySports, é que em 2031, o Newcastle seja mais rico do que o City, basicamente.

Falta saber se têm estrutura que acompanhe tanto dinheiro.

E jogadores. E treinadores. E adeptos. E relvado. E o diabo a sete.

 

PIF, o Newcastle é o clube mais rico do mundo (graças à Arábia Saudita)

 

Frase da semana

«França festejou a Liga das Nações, quando fomos nós parecia uma coisa menor»

Fernando Santos, depois da goleada ao Luxemburgo (5-0), quis espetar uma agulha nos franceses. E bem espetada, diga-se de passagem. Não sabemos se o treinador português dura muito mais tempo, mas ao menos mantém o complexo de inferioridade – o que, neste caso, até se justifica.

 

E tudo a França levou (a Liga das Nações depois do Mundial)

 

Sugestão da semana:

Sabemos que o assunto é pesado, mas a ginástica norte-americana tem estado nas notícias por isso aconselhamos que vejam o “Athlete A: Abuso da Inocência” para se perceber melhor o que está em causa. Anda pela Netflix.

E a vida não é só paródia.

As vezes temos de falar a sério.