Se temos um seleccionador nacional que acha inútil haver jogos de preparação, o melhor é começarmos o Camarote desta semana com notícias do estrangeiro.

Não queremos chatear o engenheiro do Euro’16 por isso, vamos lá. Aperte o cinto, que seguimos para a Alemanha.

Robert Lewandowski tinha tudo para ganhar a Bola de Ouro só que este ano, por causa de um pequeno problema chamado pandemia, a cerimónia foi cancelada.

O polaco conseguiu tirar o troféu de melhor marcador da Liga dos Campões (15 golos) na época passada a Cristiano Ronaldo e a Messi. Também levou o caneco de melhor marcador da Bundesliga (em todas as competições internas fez 55 golos em 47 jogos). E o prémio da Goal para os 50 melhores jogadores aos 32 anos. E chega.

Não havendo troféu real, ganhou um feito de Lego. Para o ano talvez receba a Bota de Playmobil.

 

 

Diogo Jota sente-se chateado com a EA Sports…

… e este pode muito bem vir a ser a sua actualização na página oficial de Facebook.

Diogo Jota, português que anda a encantar os responsáveis do Liverpool por já ter marcado 7 golos em 11 jogos, está muito irritado com a EA Sports, responsável pelo videojogo FIFA 21.

É que o português tem um overall de 80 e, com a saída do Wolverhampton, estava a espera de aumentar o nível, como reportado pelo jornal o Jogo e o Daily Mail.

O que Jota quer mesmo é a carta com o overall de 99, que, não servindo para nada no mundo real, enche o ego no universo virtual. Pode ser que o seu compatriota João Félix, um dos craques da seleção nacional que ficou conhecido por jogar muito FIFA 21, o começasse a utilizar e assim a malta da EA Sports possa abrir os olhos.

É que este conflito internacional tem tudo para ser a cereja no topo do bolo de uma nova guerra mundial.

 

 

E ao quinto dia, John Rahm fez caminhar a bola sobre a água

É assim que está na Bíblia não é? Bom, para os que não são fãs, o golfe é visto como desporto de gente rica, que só serve para diminuir a mágoa de antigos presidentes norte-americanos (Donald Trump).

Pois é, mas depois de ver a tacada surreal de John Rahm esta semana, pode muito bem vir a mudar de ideias.

Conseguiu que a bola ultrapasse a água sem cair, regressando à terra e enfiando-a no buraco.

 

O melhor hole-in-one que irá ver (e com mais estilo)

 

Um “hole in one” para a história, logo no aniversário do espanhol. O golfista admitiu à imprensa, citado pelo The Guardian, que “se Deus quisesse! podia muito bem ter uma vitória no Masters.

A questão é que Rham enganou-se na figura divina: foi Jesus que caminhou sobre a água.

É provável que este feito faça com que o novo testamento tenha de ser rescrito. A única coisa que aqui não é enganadora e substancialmente triste é o golfista ter a mesma idade de quem vos escreve.

O autor do texto já comprou um taco e está, neste momento, a praticar tacadas no Rio Tejo.

 

 

Frase da semana

«Kane é o único avançado inglês que não parece ser inglês»

Antigo avançado italiano, Christian Vieri. “Ceci n’est pas une anglais avancé”, como terá dito Magritte de, não é?

O atacante do Tottenham tornou-se no terceiro jogador do clube a chegar aos 200 golos e a dar uma leve esperança a José Mourinho de voltar a ser o special one. Kane tem qualidade para estar a defender as cores de outro emblema, mas também não é preciso pedir-lhe que mude de nacionalidade, Vieri.

 

Sugestão

Podcast “Histórias da Bola para Adormecer”

Se quer que o seu mais novo seja o novo CR7, ponha-se a ouvir este podcast português da Márcia Pacheco, que foi recolher as melhores histórias de adeptos, jogadores, treinadores e outras figuras do futebol para conseguir dormir melhor à noite.

Assim criar um futebolista cujo a única função não seja insultar o árbitro e que pelo menos ouviu excertos das crónicas de Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio.

Já agora: este podcast ganhou o prémio de melhor podcast de storytelling e de desporto no festival Podes.

Está feito mais um Camarote, que fecha portas “por motivo de futebol”.