A ronda na Liga NOS começa na Madeira com um confronto de grande interesse e importância.

O Nacional, agora orientado por Manuel Machado, está em zona de despromoção, mas uma possível vitória sobre o Portimonense será suficiente para subir na classificação.

É ainda uma incógnita a forma como Machado preparou a equipa insular, mas o jogo deverá marcar o regresso de Riascos a tempo inteiro.

O confronto Riascos vs Beto é um dos grandes interesses da partida.

O avançado “algarvio” vive um momento especial conseguindo somar golos, mostrando impacto tremendo nos momentos de transição.

Um Nacional a organizar-se contra um Portimonense a soltar Beto na frente, e de grande imponência nas bolas paradas, será um atrativo na luta pela manutenção.

 

Jogo para Taremi e Sérgio Oliveira

O FC Porto recebe um Santa Clara sem Fábio Cardoso e Lincoln, e se o favoritismo já antes era evidente, mais se fará notar num jogo em que os açorianos não contarão com a presença do “porta voz” da sua linha defensiva.

O Dragão verá um Porto em algumas poupanças para a Champions, mas ainda assim com talento suficiente para desbloquear a boa organização adversária.

 

Jogo para Taremi e Sérgio Oliveira – castigados do embate na Champions – demonstrarem toda a sua capacidade quer em zonas de criação, quer na finalização.

O iraniano nos movimentos na grande área, e Oliveira não rematando apenas de fora, mas também aparecendo de frente para a última linha açoriana.

 

B SAD vs criatividade de Angel e a velocidade de Elis

No Jamor a muralha defensiva de Petit que dirige a B SAD enfrentará a criatividade de Angel e a velocidade de Elis na frente ofensiva do Boavista.

O 5x4x1 da equipa da casa transforma-se num sistema com cinco jogadores sobre a linha defensiva adversária em ataque posicional, onde os extremos surgem por dentro e os laterais ganham projecção.

 

Promessa de um jogo de grande rigor comportamental tático, pela situação delicada que ambas as equipas enfrentam. As transições de Miguel Cardoso e as bolas paradas de Sauer poderão ser factor desbloqueador.

 

Benfica, crescimento tático coletivo e individual

O Marítimo desloca-se ao Estádio da Luz para defrontar o Benfica sem a sua grande figura – Rodrigo Pinho – e partindo do último lugar da classificação.

Depois da promissora estreia vencendo no terreno do Nacional, Julio Velazquez foi copiosamente batido pelo Famalicão em plena ilha, e deverá chegar ao Estádio da Luz com um sistema que resgatará a linha de cinco para enfrentar um Benfica em crescendo.

 

Sem outras competições para disputar, que não a final da Taça, Luca juntar-se à a Seferovic – vive momento de eficácia feliz – e Rafa Silva deverá surgir à direita com Everton à esquerda, numa frente ofensiva veloz e poderosa fisicamente.

Desta feita alimentada também pelo critério de saída de Lucas Veríssimo e Otamendi.

O crescimento de Grimaldo e de Diogo Gonçalves, que vêm somando assistências nos últimos jogos, trouxe mais argumentos ofensivos para a equipa de Jesus que deverá confirmar crescimento tático coletivo e individual.

 

Palhinha vs Filipe Soares

Em Moreira de Cónegos, o Sporting enfrentará o Moreirense de Vasco Seabra no caminho para o título.

A equipa da casa deverá voltar ao sistema com três centrais com o intuito de controlar as constantes diagonais de Pote, Nuno Santos e Paulinho para o espaço vazio.

Palhinha vs Filipe Soares é um atrativo no centro do terreno.

 

Grande compleição física e raio de acção largo que permitirá vencer duelos e empurrar oponente para trás.

Jogo de muito difícil criação para os leões porque perante belíssima organização caseira, e com a bola parada a poder assumir grande preponderância.

Coates e Feddal serão os homens alvo de um Sporting que procurará retirar o máximo de Pote, mesmo sabendo do desgaste a que o criativo foi exposto no Europeu de Sub21.