A recepção do Sporting ao Paços de Ferreira é o confronto grande da quarta ronda da Taça de Portugal.

O bom momento dos leões foi interrompido pelo empate em Famalicão (2-2). E para a recepção a um Paços de grande nível tático a ausência de Pote retira um definidor de criação e finalização do jogo, aumentando a dificuldade do mesmo.

A partida assume desde logo maior dificuldade pela própria matriz tática.

Sporting 1,39 vs Paços de Ferreira 7,75
Sexta-feira 11 dezembro 21h5

 

Um Paços confortável a entregar a posse e procurar intercepções na sua linha média a 5, para sair em velocidade com Eustáquio por dentro e Luther e Hélder Ferreira por fora na Transição Ofensiva.

Contra um Sporting que tem maiores dificuldades em assumir as partidas, criando a partir daí sucessivos lances de potencial perigoso.

Embora o favoritismo de um grande Sporting na época seja evidente, a organização colectiva da equipa de Pepa trará problemas para o jogo.

 

Tralhão de volta à Luz

João Tralhão voltará ao Estádio da Luz para defrontar o Benfica de Jorge Jesus. Eles que coabitaram Equipa A e Sub 19 durante o período mais longo de Jesus no Seixal.

Benfica vs Vilafranquense
Domingo 13 dezembro 20h30

 

O desnível é evidente, e embora a organização rigorosa e concentrada do Vilafranquense possa adiar o golo encarnado, a Luz receberá um momento importante para que as segundas linhas do Benfica respondam de forma afirmativa superiorizando-se com naturalidade a um adversário bastante débil.

 

Tondela de novo no Dragão

O Tondela fez três golos no Dragão aproveitando cada erro da defensiva azul na passada jornada da Liga e desta feita retorna à cidade invicta em jogo de Taça.

O 5x3x2 do Tondela, embora garanta muita gente na última linha e com isso equilibre numericamente as situações de jogo, concede demasiados espaços entre sectores e a pouca agressividade nos duelos de toda a linha média, permite tempo e facilidades para pensar e executar aos oponentes.

Porto vs Tondela
Domingo 13 dezembro 18h30

 

O FC Porto previsivelmente não alterará em demasia a equipa em virtude até das poupanças na Liga dos Campeões, e surgirá com a agressividade habitual, no seu 4x4x2 preparado para pressionar oponentes e accionar movimentos velozes de Marega e movimentos de área de Taremi.

Não deverá passar pelo Dragão qualquer surpresa até porque as competências pouco defensivas do Tondela terão dificuldades imensas para impedir processo de criação azul.

 

Possíveis surpresas:

Estoril vs Boavista

Em transição de equipa técnica, o Boavista desloca-se à Amoreira para defrontar o líder da segunda liga.

O 433 da equipa da casa conta com a velocidade de Harramiz, Vidigal, e sobretudo Aziz, o ponta de lança que finaliza a preceito com ambos os pés, como forma de chegar rápido e definir no último terço.

Com a presença em cobertura de Gamboa e a criatividade de Zé Valente ligando ofensivas amarelas, o Boavista que tem apresentado dificuldades defensivas centrais poderá ser uma das equipas surpreendidas na prova

 

Cova Piedade vs Moreirense

A equipa de António Pereira cresceu na tabela da segunda liga nas partidas mais recentes, e contará com o talento à solta de Pepo para servir a velocidade do ex Vitória de Setúbal Arnold.

A equipa de Peixoto deslocar-se-à ao sul mantendo o habitual 5x4x1, que tem impossibilitado o Moreirense de ser uma equipa criadora aquando da posse, beneficiando maioritariamente de um bom trabalho de Felipe Soares no processo de recuperação defensiva.

As dificuldades com bola dos de Cónegos, num jogo que terão de assumir poderá revelar-se nas transições adversárias. E o Cova mesmo muito limitado individualmente, tem o talento de um verdadeiro 10 (Pepo) e a velocidade do Congolês Arnold para procurar surpreender invadindo espaços vazios em contra ataque.

 

O destaque

Rio Ave 2,50 vs Famalicão 2,45
Sábado 12 dezembro 15h00

 

No norte do país um confronto entre dois “joga bonito”. E duas equipas em construção.

O Rio Ave adaptando-se a uma nova ideia de jogo: Mário Silva procurará explorar o 4231 aproveitando a criatividade de Geraldes entre linhas, enquanto por fora a chegada veloz de Mané e Lucas Piazón tem mais impacto em situações de contra ataque, e esse tem sido precisamente um dos causadores da menor performance pontual da equipa de Vila do Conde.

Uma ideia de jogo de ataque posicional, que procura dominar o jogo a cada instante, mas e porque tantas vezes consegue mesmo encostar oponentes atrás, fica a faltar espaço entre as robustas organizações contrárias para poder furar.

Dificuldades para criar com pouco espaço que se transformam em incapacidade para fazer golos.

Do outro lado, João Pedro reformula toda uma equipa, mas o Famalicão mantém talento promissor. Valenzuela e Lameiras são criadores em espaços curtos e largos, e definem quer em ataque posicional quer em contra ataque.

O Famalicão resgatou o 4x4x2 nos momentos defensivos, desta feita capaz de ofertar bola para procurar explorar as costas adversárias na recuperação da posse.

Vila do Conde deverá presenciar um jogo de domínio caseiro, mas com oportunidades e possibilidades a dividirem-se, num jogo de grande interesse porque entre duas equipas da parte superior da tabela em Portugal.