Quatro pontos nos primeiros dois jogos de qualificação ao Mundial 2022.

A vitória sobre o Azerbaijão e o empate na Sérvia obrigam portugueses e sérvios a vencerem os seus jogos e deixar o embate entre eles para decidir o primeiro lugar.

Agora segue-se o Luxemburgo no caminho de Portugal (a Sérvia vai até ao Azerbaijão).

 

Martins Pereira

Linhas baixas, organização cada vez mais cuidada, controlo do espaço entre linhas com a presença de um médio defensivo – Martins Pereira.

Assim se apresentará o Luxemburgo que vem de um triunfo incrível sobre a Irlanda.

 

Gerson Rodrigues, um almadense à procura do sonho lá fora

 

Embora seja ainda uma selecção de pouca dimensão Europeia e ainda menos Mundial, o crescimento é notório e as dificuldades que colocam aos adversários no seu processo de criação pelo aglomerar de gente e pelo cumprimento de princípios defensivos são óbvias, e bastará recordar a dificuldade da última visita portuguesa ao Luxemburgo para o ter bem presente.

 

O monstro Ronaldo

O “monstro” Ronaldo chega à partida frustrado.

Pela exibição pouco conseguida e ainda mais pelo golo não validado que daria os três pontos a Portugal e que atenuaria a sua performance em plena Sérvia.

 

Ronaldo e a Sérvia: ai entrou, entrou

 

Num jogo contra um adversário tão baixo e fechado, numa noite em que Cristiano chega “com fome” de provar que está vivo

(e todos sabemos o que acontece quando Ronaldo passa por tal fase)

todos os caminhos de criação “desaguarão” na área onde estará Cristiano.

No ar ou pelo chão procurará dar sentido às bolas que chegarão provenientes da criatividade de Jota, Bernardo ou João Félix.

O dia 30 de março bem poderá ser o aproximar de Cristiano ao recorde de Ali Daei.