Os quinze pontos de vantagem sobre o Lokomotiv de Moscovo e vinte sobre o Krasnodar na temporada passada que tornaram o Zenit um campeão com brilhantismo, dificilmente se repetirão numa Liga que promete para a nova temporada mais emoção.

Mesmo que os azuis do Zenit comandados por Sergej Semak sejam amplamente favoritos, Spartak, Lokomotiv, CSKA e Krasnodar prometem trazer jogos entretidos e de desfechos improváveis.

Olhamos para algumas das equipas que prometem melhores espetáculos na Liga. Pela sua tradição, grandeza, individualidades ou organização colectiva, eis as equipas que não pode perder na Liga Russa:

 

Zenit S. Petersburgo

O 4x4x2 do campeão tem a particularidade de reunir na frente de ataque Dzyuba e Azomun, os dois melhores marcadores da temporada transata, ambos com 17 golos somados, e conferem uma vantagem importante a um Zenit que mesmo quando não apresenta a capacidade de criação habitual, é sempre uma equipa eficaz em zona de finalização.

Domingo 30 agosto 14h00
Lokomotiv Moscovo vs Zenit S. Petersburgo
4,30 – 3,35 – 1,68

 

O sector defensivo foi reforçado com o ex Liverpool Lovren, que com Rakitskiy forma uma dupla de centrais de grandes competências defensivas capaz de suster a avalanche ofensiva que se transforma com o lateral canhoto Douglas Santos. A dupla que Douglas faz com o poderoso Malcom no corredor esquerdo é uma fonte de desequilíbrios constante e um ponto de vantagem em ataque posicional da equipa de Semak.

A velocidade, o drible e uma tremenda capacidade de finalização de meia ou curta distância tornam o ex Barcelona a figura do Zenit, e uma das maiores de toda a Liga. Tem um impacto tremendo no último terço seja assistindo e criando jogo para os dois pontas de lança, ou aparecendo ele próprio a finalizar pós progressão, demonstrando a cada jogo que é uma dor de cabeça para a oposição.

 

Spartak Moscovo

Depois de uma temporada verdadeiramente decepcionante em que terminou no sétimo posto da Liga, o Spartak procura reinventar-se. O sistema em 3x4x1x2 traz desconforto para o plano de jogo dos adversários e torna-se uma vantagem tática.

Sábado 29 agosto 16h00
Spartak Moscovo vs Arsenal Tula
1,46 – 3,65 – 5,70

 

Os alas transformam-se em laterais conferindo grande concentração defensiva em momento de organização, sem perder a capacidade de chegada ao último terço pelo Brasileiro Ayrton à esquerda e por Zobnin no corredor direito.

O posicionamento do trio ofensivo com o dez Bakaev nas costas de dois avançados – Sobolev e Larsson -, tem a particularidade de permitir ter três homens mais adiantados que preparam muito bem a transição ofensiva, beneficiando também em ataque posicional da forma como os pontas de lança fixam centrais adversários, permitindo mais espaço e tempo para Bakaev poder definir entrelinhas.

Se há equipa na Liga que tem condições para fazer bastante melhor que no passado, essa equipa é o Spartak de Moscovo.

 

Lokomotiv Moscovo

Foi o grande rival do Zenit na temporada passada e para 2021 resgata o seu 4x2x3x1 que tem na criatividade e capacidade de definição no último terço de Aleksey Miranchuk, um dos melhores jogadores da Liga, o seu ponto mais notório.

O trio mais recuado do corredor central – Guilherme Marinato na baliza, Corluka e Murilo Cerqueira como centrais – confere a estabilidade individual a um sector capaz de responder com eficácia aos perigos adversários mesmo quando o espaço aumenta.

Em organização defensiva o Lokomotiv mostra-se solidário, concentrado e eficiente no fecho dos espaços, enquanto nos momentos com bola a ligação que Miranchuk estabelece com o ponta de lança internacional Smolov traz o Lokomotiv para um nível especial que lhe permite vencer partidas mesmo quando passa menos tempo em posse e se vê obrigado a trabalhos defensivos redobrados.

Com uma média próxima dos 27,5 anos de idade nas escolhas habituais, a experiência competitiva da equipa de Moscovo é também um factor determinante para a forma como encara cada plano de jogo sempre com argumentos para poder triunfar.

 

CSKA Moscovo

O histórico de Moscovo procura reerguer-se paulatinamente depois do quarto lugar da temporada passada e rubricou um investimento assinalável no reforço do plantel. Parte para 2021 com um lote de jogadores de nível interessante que lhe possibilitarão discutir cada partida de forma acérrima.

Domingo 30 agosto 16h00
FC Akhmat Grozny vs CSKA Moscovo
3,55 – 3,10 – 1,90

 

O 4x2x3x1 que se faz notar sem bola assume uma dinâmica interessante no seu ataque posicional pela incorporação dos laterais Mário Fernandes à direita e Schennikov à esquerda em espaços mais altos, aproximando-se das zonas de criação onde o mágico Nikola Vlasic, número oito nas costas, mas que joga como um dez, define o destino das investidas ofensivas do CSKA.

É no talento e capacidade para decidir de Vlasic que se sustenta a notoriedade que o ponta de lança Chalov e os alas Sigurdsson e Kuchaev sempre vão obtendo pela forma criteriosa com que a bola lhes chega para poderem definir os lances em último terço.

A chegada do talento do central brasileiro Bruno Fuchs, do temível ponta de lança argentino Gueich e de Ejuke, deverão ser enquadradas num onze de grande nível que ainda espera o possível ingresso do português João Palhinha, para funcionar como ponto de equilíbrio de toda a estrutura tática.

À procura de um crescimento tático nos diferentes momentos do jogo, por forma a ter um modelo de jogo de maior controlo e menos oferta de espaços seja em organização defensiva ou transição defensiva, pelos próprios posicionamentos ofensivos, o CSKA alimenta o sonho de proporcionar bons espetáculos e encurtar distâncias para uma possível hegemonia do Zenit.

 

FC Krasnodar

Musaev orienta uma das equipas sensação das últimas temporadas na longínqua Rússia. Depois da eliminatória em que afastou o FC Porto em pleno Estádio do Dragão, o Krasnodar rubricou uma temporada segura no plano interno, tendo terminado a época no pódio a cinco pontos da vice liderança, e para a próxima temporada embora não prometendo registo melhorado, deixa indícios de que continuará a proporcionar jogos de tripla a cada estádio onde se desloque.

Domingo 30 agosto 18h00
FC Krasnodar vs FC Rostov
1,74 – 3,40 – 3,90

 

O 4x2x3x1 voltará a ser o sistema primordial, com uma dupla de médios centros responsáveis por em cobertura (atrás da linha da bola) sustentarem as incursões mais arriscadas dos talentosos extremos – Claesson tem surgido pela direita, e no corredor esquerdo há a presença do sempre desconcertante no último terço Wanderson.

Marcus Berg, figura da temporada passada voltará a ser o ponta de lança responsável por sentenciar as jogadas ofensivas de um conjunto que, embora seja sempre pressionante sem bola e com isso provoque sistematicamente perdas aos seus adversários e encontre espaços e momentos para contra atacar, continua a permitir demasiados espaços nas suas relações intersectoriais.

Uma equipa de “tudo ou nada”, pela forma como investe e pressiona a todo o instante, ora beneficiando dos roubos de bola altos, ora pagando pela ousadia de defender aberto e a campo todo, que se torna sempre aprazível de acompanhar.

Poderá ser difícil repetir presença tão acima na tabela, mas os jogos do Krasnodar são sempre sinónimo de correria, intensidade física e resultados com golos.